sexta-feira, 31 de outubro de 2014

31 DE OUTUBRO - DIA DA REFORMA PROTESTANTE


            No dia 31 de outubro de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero, indignado com os abusos da Igreja Católica Romana, afixou na porta da catedral de Wittenberg, na Alemanha, suas 95 teses, que contestavam, entre outros assuntos, a comercialização do perdão dos pecados e a salvação por obras, fato que desencadeou a Reforma Protestante.
Em razão de sua postura teológica, Lutero foi ameaçado de excomunhão pela igreja católica, o que o levou a queimar em praça pública a bula de excomunhão emitida pelo pontífice romano. Alguns anos mais tarde, Lutero publicou seu Catecismo Menor, através do qual explica, em linguagem simples, a teologia da Reforma. Lutero traduziu a Bíblia para o alemão, tendo contribuído grandemente para o acesso à Palavra de Deus pelo povo da época. Além de Lutero, reformadores como João Calvino, Ulrich Zwinglio e Martin Bucer tiveram papéis determinantes na história da Reforma Protestante.
Indubitavelmente, a Reforma trouxe grandes conquistas para a igreja, ao restituir a crença em doutrinas genuinamente bíblicas e indispensáveis à saúde da igreja, que podem ser resumidos em 5 pontos: somente a Escritura, somente a fé, somente a graça, somente Cristo e glória somente a Deus.
Após quase 500 anos de Reforma, grande parte da igreja desconhece esse importante acontecimento histórico, bem como suas consequências e impactos para a igreja hoje. Tendo retornado à Idade das Trevas, muitos atualmente comercializam a fé, negociam o evangelho e, como disse H. Richard Niebuhr, em sua famosa frase a respeito do liberalismo, — proclamam e adoram “um Deus sem ira, o qual trouxe homens sem pecado para um reino sem julgamento por meio de ministrações de um Cristo sem a cruz”. Em suma, desconhecem a verdade do evangelho. Nosso objetivo ao comemorar o Dia da Reforma é encorajar igrejas e ministérios a retornarem às verdades das Escrituras, através do correto conhecimento do Deus Todo-Poderoso, que por sua abundante graça, reconciliou consigo mesmo, através do sacrifício expiatório de Jesus na cruz do calvário, um povo escolhido de antemão e amado incondicionalmente.
Comemore com o Ministério Fiel o Dia da Reforma, compartilhando frases de reformadores que mudaram a história da igreja, e ajude-nos a proclamar o verdadeiro evangelho!
Saiba mais: Texto, Áudio ou Vídeo.

Crédito: Site http://www.diadareforma.com.br

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

PRINCÍPIOS PARA UM VERDADEIRO AVIVAMENTO - Reflexão

           Inicio nossa reflexão com uma declaração feita por um (a) adorador (a) do ano 800 d.C. chamado (a) Rabia: "Se eu te adorar por medo do Inferno, queima-me no Inferno. Se eu te adorar  pelo Paraíso, exclua-me do Paraíso.  Mas se eu te adorar pelo que tu és, não esconda de mim a tua face."
"... e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra (2 Crônicas 7.14).
Santidade, Caráter,  - e infelizmente esta atitude tem retardado o genuíno avivamento. Sigamos o exemplo de Davi que prontamente atendeu ao pedido do Pai da glória :  "Quando tu disseste: 'Buscai o meu rosto,  o meu coração te disse a ti:' "O teu rosto Senhor, buscarei."  Não escondas de mim a tua  face e não rejeites ao teu servo com ira; tu foste a minha ajuda; não me deixes, nem me desampares, ó Deus da minha salvação." ( O grifo é nosso).
         Temos orado para que o Pai continue a encontrar nesta geração os verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade.  Concluo nossa reflexão deixando as palavras proféticas do Salmo 24.6: "Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face , ó Deus de Jáco."      Por Sandro Gomes de Oliveira

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

MÃOS DO MESTRE - REFLEXÃO

Mãos do Mestre
Desejando encorajar o progresso de seu pequeno filho ao piano, uma mãe o levou a um concerto de Paderewski. Depois de sentarem, a mãe viu uma amiga na plateia e foi até ela para saudá-la.
Tendo a oportunidade para explorar as maravilhas do teatro, o pequeno menino se levantou e suas curiosidades o levaram a uma porta onde estava escrito "ENTRADA PROÍBIDA". Quando as luzes abaixaram e o concerto estava prestes a começar, a mãe retornou ao seu lugar e descobriu que seu filho não estava lá.
De repente, as cortinas se abriram e as luzes caíram sobre um impressionante piano Steinway no centro do palco. Horrorizada, a mãe viu seu filho sentado ao teclado, inocentemente catando as notas de "Cai, cai, balão". Naquele momento, o grande mestre de piano fez sua entrada, rapidamente foi ao piano, e sussurrou no ouvido do menino: "- Não pare, continue tocando".
Então, debruçando, Paderewski estendeu sua mão esquerda e começou a preencher a parte do baixo. Logo, colocou sua mão direita ao redor do menino e acrescentou um belo acompanhamento de melodia. Juntos, o velho mestre e o jovem noviço transformaram uma situação embaraçosa em uma experiência maravilhosamente criativa. O público ficou perplexo. . .
É assim que as coisas são com Deus. O que podemos conseguir por conta própria mal vale mencionar. Fazemos o melhor possível, mas os resultados não são exatamente como uma música graciosamente fluida. Mas, com as mãos do Mestre, as obras de nossas vidas verdadeiramente podem ser lindas.
Na próxima vez que você se determinar a realizar grandes feitos, ouça atentamente. Você pode ouvir a voz do Mestre, sussurrando em seu ouvido: "- Não pare, continue tocando". Sinta seus braços amorosos ao seu redor. Saiba que suas fortes mãos estão tocando o concerto de sua vida.
Alguém já disse que: Deus não chama aqueles que são capacitados. Ele capacita aqueles que são chamados.
E Ele sempre estará lá para amar e guiar você a grandes coisas.


sábado, 4 de outubro de 2014

O CRENTE DEVE GUARDAR O SÁBADO? Por Esequias Soares

Os defensores afirmam que a guarda do sábado está na lei e que por isso deve ser observado de geração em geração porque éu um dos preceitos da Lei de Deus, que segundo eles é a mesma lei moral. Assim classificam a lei de Lei Moral e Lei  Cerimonial. os  Dez Mandamentos são a Lei Moral, chamada de Lei de Deus e a Lei Cerimonial, chamada por eles de Lei de Moisés. Esse arranjo adventista não  pode ser confirmado na Bíblia. Vamos aos fatos.

O Decálogo é o esboço e a linha mestra da Lei de Moisés registrado em Êx 20.1-17 e Dt 5.6-21, o sumário de toda a lei. Do grego deka "dez", e  logos  "palavra", usado na  Septuaginta para traduzir a expressão hebraica asseret hadevarim  "as dez palavras"   (Êx 34.28; Dt 4.13 ; 10.4), com o sentido de "mandamento", pronunciamento, princípios".  Por essa razão o Decálogo ficou conhecido universalmente como  os "Os Dez Mandamentos".

A Bíblia afirma que existe só uma lei. Os judeus interpretam assim: um só Deus, um só legislador, portanto, uma só lei. O que existe, na verdade são preceitos morais, preceitos cerimoniais e preceitos civis. É chamada de Lei de Deus, porque teve sua origem Nele. Lei de Moisés porque foi Moisés o legislador que Deus escolheu  para promulgá-la no Sinai.  Os  preceitos, tanto do Decálogo como os fora dele, são chamados alternadamente de Lei de Deus ou do Senhor e Lei de Moisés (Lc 2.22,23 e Hb 10.28). Não são duas ou três leis, mas uma só lei apresentada por esses nomes (Ne 8.1,2,8,18).

Há princípios que são imutáveis e universais. Não há para eles a questão de transculturação. Onde quer que o Evangelho for pregado esses princípios estão presentes, que chamamos de preceitos morais ou éticos.  Os dois maiores mandamentos são preceitos morais (Mc 12.29-31),  entretanto, não constam do Decálogo, é uma combinação de Dt 6.4,5 com Lv 19.18. Por outro lado, encontramos no Decálogo o quarto mandamento, que não  é  preceito moral.  Jesus disse  que o sacerdote podia violar o sábado e ficar sem  culpa (Mt 12.5).

A questão não  é o sábado em si, mas o fato de que não estamos debaixo do Antigo Concerto (Hb 8.6-13). A Palavra profética previa a chegada do Novo Concerto (Jr 31.31-33). e o fim do sábado (Os 2.11), que  se cumpriu em Jesus (Cl 2.14-17), por essa razão, o sábado não aparece nos quatro preceitos de Atos 15.20,29.

Fonte: Resposta Fiel.   Pastor Esequias Soares