terça-feira, 2 de setembro de 2014

O SILÊNCIO DA MAIORIA - Reflexão Por Irmão André da P.A.

       Fala-se frequentemente sobre o "silêncio da maioria". Todos estavam em silêncio no tempo em que Elias, no Monte Carmelo, enfrentou face a face os profetas de Baal.  A maioria foi diretamente desafiada a reconhecer o Senhor  como o único Deus e a segui-lo;  O povo, porém, nada respondeu" (1 Rs 18.21).

Essa é uma das mais tristes afirmações encontradas na Bíblia. Mas como o  povo reage hoje quando tem de escolher entre o bem o mal? A resposta pode ser envontrada nos jornais, revistas e programas de TV: o mal está crescendo mais rápido que a Igreja.

A maioria de todas as confrontações já acontecidas começou quando o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e isso certamente não aconteceu em silêncio. O Verbo foi alto e claro. Ele preparou pessoas par ao Reino de Deus e as comissionou  para ir por todo o  mundo e  pregar o evangelho.

Os que obedeceram eram a minoria, e não  proclamaram a mensagem que todos queriam ouvir, mas a que tinham de ouvir. Como resultado, foram perseguidos. Não somente alguns, ou muitos, mas todos foram  perseguidos, pois romperam com a velha maneira de viver.

E como é hoje? Vejo cristãos rompendo com a religião estabelecida e com os poderes políticos. Eles ouvem, creem, praticam, e isso muda o curso da história. Eles certamente não fazem parte da "maioria silenciosa".
  
Na Bíblia há somente dois tipos de cristãos: os que são perseguidos e os que suportam aos perseguidos (Hb 10.32-33). Em qual desses lados você se encontra?

A melhor escolha é se identificar com a Igreja Perseguida, que pode ser encontrada em qualquer lugar do mundo. Ore  por ela, suporte-a e seja grato a Deus por ter esse  privilégio. Esse é o caminho para podermos verdadeiramente adorar o Senhor.

Fonte: Irmão André - Fundador da Portas Abertas - Extraído da revista Portas Abertas, ano 10, v. 10 nº 5.