quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Simplicidade na Comunicação

"O Teólogo leigo Dr. E.S. Lewis, professor em uma das mais conceituadas Universidades da Inglaterra, ouviu certa vez um jovem evangelista terminar um sermão da seguinte maneira: 'Meus caros amigos, se não aceitardes esta verdade pode ser que haja consequências escatológica muito graves'.
" O Dr. Lewis perguntou ao jovem evangelista, no final do culto, se o significado daquilo que havia dito era: se os ouvintes não cressem em Cristo, estariam em perigo do inferno. O jovem respondeu que era isso mesmo. 'Então, disse o Dr. Lewis, por que razão não disse em linguagem clara, simples e inteligíveis' ?
Ser simples e claro ao falar faz com que sejamos entendidos por todos os ouvintes".
Fonte: Leite Filho, Tácito da Gama. Evangelismo, Missão de todos nós. Rio de Janeiro: CPAD, 2ª edição, 1981 - Citado por Sandro Gomes no Manual de Evangelismo Dinâmico, p.17.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Aluno "problema" - Maria estava em pauta - Reflexão

APRESENTADOR - Era uma reunião de educadores. Professores, diretores, vice- diretores, supervisores, orientadores, psicólogos, assistentes sociais etc. Ali estavam. Maria estava em pauta. Maria, a pestinha da escola. Maria, uma menina que se recusava a usar o uniforme habitual, e exigido, que chegava atrasada, saía cedo, encarava qualquer um, já havia enfrentado todos os que ali estavam. A má vontade contra Maria passeava pelo ar...

A DIRETORA - Estamos todos reunidos aqui para dar uma solução ao caso de Maria. Não preciso especificar. Todos a conhecem. Mas não gosto de expulsar ninguém sem uma tomada geral de opiniões. Não quero reclamações posteriores. Tenho de calçar minha posição contra ataques futuros. Por favor, psicólogos, exponham o que encontraram na análise de Maria:

PSICÓLOGOS - Contra a vontade da menina, aplicamos-lhe vários testes. Foi uma luta. Recusava-se, negava-se; detesta testes, detesta psicólogos, não acredita em nada disto, nos falou. Diante do perigo de ser expulsa, aquiesceu. Agora, pasmem, caros colegas - Maria tem 140 de QI! Sabe o que quer dizer isso? Maria é quase gênio!!! Inteligência elevadíssima... E ainda nos contou, uma piada – falou que um garoto, no vestibular disse que neurótico é o sujeito que constrói castelos no ar. Psicóticos, os que moram neles e psiquiatras e psicólogos os que cobram aluguel pelos castelos... É petulante, não é? A assistentes sociais foram visitar a casa dela?
ASSISTENTE SOCIAL - Vive numa boa casa, a mãe, tem curso superior, trabalha dia e noite para sustentar três filhos já que o pai se mandou por aí... Maria leva e traz os irmãozinhos ao colégio, quando sai daqui. A mãe se queixou – ela é relaxa, não se cuida, cabelos despenteados, tudo jogado pela casa. Muito respondona, discute por qualquer coisa. Mas também tem gestos de amor inesperados. No aniversário da mãe fez uma festa surpresa para ela com bolo, salgados. Tudo comprado com dinheirinho que juntou. E sofre sobre seu rendimento escolar... Vamos ouvir os professores? Vocês, de linguagem.

PROFESSORA DE PORTUGUÊS – Maria é uma criança engraçada. Escreve tudo errado, professora com cedilha; mas eu queria que vocês lessem – o conteúdo é belíssimo, a forma é rica – usa palavras adiantadíssimas, mal escritas – mas muito interessantes. Vou, reprová-la, com muita pena. Mas ela não... sabe escrever direito... Ela é que faz abaixo assinados para os colegas, ela é que escreve discursos, ela está sempre escrevendo – e errando. É uma pena... Ela me disse que gosta de História. Que tal ouvirmos a professora de História?

PROFESSORA DE HISTÓRIA – Maria me dá muito trabalho. Há dias em que presta uma atenção incrível. Fixa o olhar em mim, pergunta, pergunta, interrompe, discute, discute... Fala de grupos de pressão, de poder, de classes dominantes e diz que vai ser socióloga. Respondam-se, caros colegas, como posso conduzir minha classe se Maria me perturba o tempo todo? E na matemática, como vai Maria?

PROFESSORA DE MATEMÁTICA – Temos horror a Maria e ela nos corresponde na mesma moeda. Odeia matemática: sempre ficou para 2ª época. Imaginem que tentei conquistá-la , dei a ela uma caixa de bombom, uma coleção de santinhos... e ela me devolveu os santinhos . Disse que é atéa... Isto mesmo : atéa.

PROFESSORA DE CIÊNCIAS – Gente – de repente, estou ouvindo vocês e não entendo nada. Será que estão falando da minha aluna Maria, 13 anos, da 7ª série? Não entendo o que se passa neste recinto, não posso acreditar! Ela só tira dez, comigo. Infelizmente nunca discutimos. Maria ou vocês saberiam o quanto ela me ajuda... Na feira de ciências ela fabricou um aparelho, ela arranjou ratinhos para a exposição... Ficou lá o tempo todo ajudando a todos... Na minha aula - é verdade que quase nunca eu dou aulas expositivas, sempre lanço problemas para os alunos e fico esperando as respostas dos grupos... Maiêutica, não é? E Maria é minha melhor aluna. Como vão expulsar uma menina assim? Meu Deus... a quem poderia pedir auxílio nesta hora? É preciso salvar uma criança extraordinária...

DIRETORA – Como constatamos, professora, só a senhora vê méritos em Maria. Todos os outros a reprovarão. Logo, a senhora será mesmo voto vencido. Concordam que eu chame a mãe da menina para que retire Maria daqui? Quem concordar levante a mão...

APRESENTADOR – Neste momento um barulho ensurdecedor se faz ouvir... uma luminosidade imensa clareou o ambiente e uma voz suave e doce encheu o recinto:

UMA VOZ – Todos aí reunidos , como uns tolos, para expulsar uma menina superdotada- que ousou ser diferente... De que mais precisa o mundo senão de meninas como Maria? Ela é o sal da terra, a flor de sua escola e vocês a querem deportar...

APRESENTADOR – Aos professores parecia que era a voz de Moacir Gadotti que se fazia ouvir...

GADOTTI – Por favor, professores... “conduzir crianças, hoje, é papel do motorista do ônibus escolar e não do professor, do pedagogo”. Esta escola limitou-se a cumprir programas – sem criatividade, sem alegria, sem vida – e, à exceção da bela professora de ciências, vocês robotizaram sua crianças... Por isto Maria detesta sua escola... “Uma docência limitada à transmissão de conhecimentos e um supermercado de idéias”...

EDUCADORES - Paciência, Doutor... como podemos , nós diretores, nós professores, nós supervisores etc. descumprir leis, descumprir programas, descumprir regras que vêm sendo marteladas em nosso ofício há mais de dois séculos? Professor tem mais é que dar a matéria toda, ensinar o que mandam as secretarias, não é. E as conseqüências da desobediência?

GADOTTI - Maria está educando vocês. E vocês não perceberam isto. Nem a mãe de Maria... “a desobediência representa um alto grau de criatividade histórica. É pela desobediência, meus caros mestres, que o educando, ao dizer não, diz também eu e se assume criticamente. O desrespeito, visto como complemento negativo da desobediência, é um ato cheio de amor e de ternura. É só eficaz por isto... Duplamente eficaz, porque educa o educador.”

EDUCADORES – Se desobedecermos aos nossos superiores... Vamos ter mas conseqüências... e, senhor, se aceitarmos o ato de desobediência descemos de nosso pedestal. A criança não nos tratará com o devido respeito...

GADOTTI – “Educar, caros mestres, é fazer ato de sujeito, é problematizar o mundo, em que vivemos para superar suas contradições, comprometer-se com este mundo para recriá-lo constantemente. Não é consumir idéias, nem obedecer. Incoerência, desordem, desobediência, são as linhas diretrizes a minha pedagogia. Será que não estávamos confundindo Educação com Submissão, com Obediência?

“A educação é obra transformadora, criadora, ora, para criar é necessário mudar, perturbar, modificar a ordem existente. Fazer progredir alguém significa modificá-lo. Por isto a educação é um ato de desobediência e desordem. Uma educação autêntica reordena. Nesta dialética ordem-desordem é que se opera o ato educativo e o crescimento espiritual do homem.”

APRESENTADOR - A luz desapareceu naquela sala, de repente. Professores cabisbaixos meditavam. Só a professora de ciências sorria, feliz. Até que enfim alguém referendava o que ela sempre pensara em sua filosofiazinha de professora humilde e consciente.
E como por ali pairava o ideal o ideal do educador, aquele sopro indefinível que nos faz ficar transformado de alegria a um simples aceno de um menininho, nosso aluno...a diretora falou:

DIRETORA - Gente, acho que precisamos mudar! Isto aqui está um baú de velhas idéias. Vou comprar livros novos, vamos ter reuniões mais sérias, vamos questionar nossas aulas, nossos programas, nossas atitudes. Quem concordar, por favor, levante a mão...

APRESENTADOR - Todos concordaram

DIRETORA - Agora, querida colega, o que faremos com Maria? Vamos imitar a professora de ciências e encarregar Maria de coisas diferentes, vamos ocupá-la, amá-la um pouco mais? Oferecer-lhe problemas a resolver?

APRESENTADOR - Todos concordaram

TODOS - A partir daquele dia ouviam-se risadas nos pátios, alegria nas salas de aula e Maria, a menina impossível, de repente, por ser menina, começou a acreditar, de novo, que por trás do arco íris havia um castelo de sonhos deslumbrantes.

Jogral de FERNANDA BARCELLOS - com trechos escolhidos de MOACIR GADOTTI no livro (EDUCAÇÃO E PODER) “CORTEZ”

Obs.: Amigo leitor, peço por gentileza que deixe o seu comentário sobre a reflexão citada acima. Desde já, muito obrigado. No serviço do Mestre, pastor Sandro Gomes.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Em defesa do povo judeu

É evidente que o povo judeu é o "bode expiatório" para tudo. Li certo dia, num conceituado periódico evangélico uma matéria que me atraiu bastante a atenção. Trata-se da carta dum leitor que tem como conteúdo as razões pelas quais o povo judeu através dos séculos tem sido usado como "bode expiatório" para tudo o que acontece de prejuízo no Oriente Médio e em outras partes. Vejamos, portanto, o conteúdo da carta em foco:

" Não resta a menor dúvida de que o judeu é bode expiatório para tudo. A história que o diga. Perseguido por governantes de todas as nações, tanto individual como em conjunto, o judeu tem sido hostilizado, acusado e culpado por tudo. Exemplificando a atualidade, vejamos a Polônia, cuja presença judaica é quase inexistente em população, porém os anti-semitas culpam os judeus pela situação Polônesa. O mesmo ocorreu no massacre horripilante no Líbano causado pelos falangistas libaneses, burlando a vigilância israelense e realizando o ato macabro nos acampamentos dos refugiados. Lamentalvemente o Líbano tem sido palco desses massacres, basta ver o ato horripilante realizado em Damour pelos palestinas no trágico 15 de janeiro de 1975. Em seu livro "Crise no Líbano" o ex-presidente libanês Camile Chamoun, relata o massacre causado pelos palestinos na população civil libanesa da seguinte maneira: "Numerosos elementos palestinos conseguiram tomar posição em uma parte do bairro leste de Damour. Aí eles se lançaram ao seu jogo costumeiro de destruição, de incêndio e de massacre; mulheres atacadas a facadsas e machadadas e pequenos garotos de dois, três, cinco e dez anos estrangulados..."

"Digo isto, e contrário à guerra e favorável ao diálogo entre os homens de boa-vontade, quero concluir culpando os judeus pelos seguintes fatos históricos, muitos dos quais já totalmente esquecidos:

1º - São culpados pelo aparecimento de um homem chamado Arthur Solomon Loevenhart. Grande farmacologista judeu, que principiou a descoberta dos medicamentos contra a sífilis.
2º - São culpados pela descoberta da estreptomicina, valorosa no tratamento das tuberculoses.
3º - São culpados pela descoberta da vacina que destruiu o fantasma da poliemelite, Albert Sabin venceu a luta contra o pólio e muitos anti-semitas hoje são beneficiados, vacinando seus filhos contra a terrível moléstia.
4º - São culpados pelo surgimento da anestesia que elimina dor em uma cirurgia. Extraordinária contribuição à humanidade.
5º - São culpados pela cirurgia que faz a extração do cálculo renal. Quantos anti-semitas já foram beneficiados com tal cirurgia? Graças ao judeu culpado, Dr Dittel.
6º - São culpados pelo pioneirismo da moderna ciência da odontologia.
7º - São culpados pelo invento do motor a gasolina, que transformou totalmente o transporte do mundo. Foi um judeu chamado Elegried Marcus, em 1975, proporcionou tal contribuição à humanidade, incluindo os anti-semitas.
8º - São culpados por terem deixado uma herança maravilhosa no mundo, chamada Escritura Sagrada, cujos 66 livros bíblicos foram escritos por judeus, Quantos livros famosos passaram, porém a Bíblia é sempre a mesma. "Lampada para os meus pés é a tua palavra e luz para o meu caminho." Salmo 119.105
9º - São culpados por serem o meio usado por Deus para dar ao mundo "o mundo judeu de todos os tempos", aquele que é a esperança da vida eterna, que transforma o homem pecador numa vida voltada ao eterno, através do novo nascimento. Muitos anti-semitas dizem o adorar, mas desconhecem suas palavras: "Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos, pois a salvação vem dos judeus", Jo 4.22. É Ele a revelação do Pai, gerado por obra do Espírito Santo no ventre de uma judia chamada Maria. É Jesus.
10º - Finalmente, sao culpados pelo simples fato de serem judeus, "menina dos olhos de Deus." Assim o Eterno os chama no livro de Zacarias 2.8.

Termino com 10 responsabilidades, pois, o número 10 é bem sugestivo; ele nos lembra o decálogo precioso dado por Deus ao grande profeta Moisés, que por sinal também é judeu".

No serviço do Mestre, Pastor Sandro Gomes

domingo, 28 de agosto de 2011

Citação Bíblica da Semana

"Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se pode abalar, mas permanece para sempre". Salmo 125.1. (NVI)

"Those who trust in the Lord are like Mount Zion, which cannot be shaken but endures forever". Psalm 125 (NVI).

Rebecca Kiessling - Foi concebida a partir de um estupro brutal ...

O depoimento citado abaixo é de Rebecca Kiessling. Ela é evangélica norte-americana, escritora e ativista pró-vida nos EUA.

Fui adotada assim que nasci. Aos 18 anos, soube que fui concebida a partir de um
estupro brutal sob ameaça por um estuprador em série. Assim como a maior parte das pessoas, nunca pensei que o assunto do aborto estivesse relacionado à minha vida, mas assim que recebi a notícia percebi que esse assunto não só está relacionado como está ligado à minha própria existência. Era como se eu pudesse ouvir os ecos de todas as pessoas que, da forma mais simpática possível, dizem: “Bem, exceto no caso de estupro...” ou que dizem com veemência e repulsa: “Especialmente no caso de estupro!” Existem muitas pessoas assim por aí. Elas nem sequer me conhecem, mas julgam a minha vida e depressa a descartam só pela forma como fui concebida. Senti como se a partir daquele momento tivesse que justificar a própria existência, tivesse que provar ao mundo que não deveria ter sido abortada e que era digna de viver. Lembro-me também de me sentir como um lixo por causa de pessoas que diziam que o feto fruto de um estupro é algo descartável.

Por favor, entenda que quando você se declara a favor do aborto ou quando abre a exceção para o estupro, o que isso realmente significa é que você pode olhar nos meus olhos e me dizer: “Eu acho que sua mãe deveria ter tido a opção de abortar você”. Essa é uma afirmação muito forte. Jamais diria a alguém: “Se eu tivesse tido a chance, você estaria morta agora”. Mas essa é a realidade com a qual vivo. Desafio qualquer um dizer que não é.

Diversas vezes me deparei com pessoas que me confrontaram e me tentaram desvencilhar do assunto dizendo coisas do tipo: “Bem, você teve sorte!”. Pode ter certeza que a minha sobrevivência não tem nada a ver com sorte. O fato de estar viva hoje tem que ver com as escolhas feitas pela sociedade: pessoas que lutaram para que o aborto fosse ilegal em Michigan naquela época mesmo em caso de estupro; pessoas que lutaram para proteger a minha vida e pessoas que votaram a favor da vida. Eu não tive sorte. Fui protegida. E vocês realmente acham que nossos irmãos e irmãs que estão sendo abortados todos os dias simplesmente são “azarados”?

Um dos aborteiros com quem minha mãe biológica chegou a entrar em contato quando estava grávida de mim propôs a ela que se encontrasse com alguém à noite no Instituto de Arte de Detroit. Alguém iria se aproximar dela, dizer seu nome, vendá-la, colocá-la no banco de trás de um carro, levá-la e então me abortar. Depois iria vendá-la novamente e levá-la de volta. E sabe o que eu acho mais lamentável? É que eu sei que existe um monte de gente por aí que me ouviria contar esses detalhes e que responderia com uma balançada de cabeça em desaprovação: “Seria terrível se sua mãe biológica tivesse tido que passar por tudo isso para conseguir abortar você”. Isso é compaixão?!?!

Entendo que eles pensam que estão sendo compassivos, mas para mim parece muita frieza de coração, não acha? É sobre minha vida que estão falando de forma tão indiferente e não há nada de compaixão nesse tipo de opinião. Minha mãe biológica está bem, a vida dela continua e ela está se saindo muito bem, mas eu teria morrido e minha mãe estaria acabada. A minha aparência não é a mesma de quando eu tinha quatro anos de idade ou quatro dias de vida ainda no útero de minha mãe, mas ainda assim era integralmente eu, e eu teria sido morta em um aborto brutal.

Sou muito grata por minha vida ter sido poupada, mas muitos cristãos bem intencionados me dizem coisas como: “Olha, Deus realmente quis que você nascesse”. E outros podem dizer: “Era mesmo pra você estar aqui”. Mas Deus quer que toda criança tenha a oportunidade de nascer e não posso me conformar e simplesmente dizer: “Bem, pelo menos a minha vida foi poupada”. Ou: “Mereci. Veja o que eu fiz com a minha vida”. E as outras milhões de crianças não mereciam?

Na Faculdade de Direito, eu tinha colegas que me diziam coisas como: “Se você tivesse sido abortada, não estaria aqui hoje e de qualquer forma não saberia a diferença, então por que se importa?” Acredite ou não, alguns dos principais filósofos pró-aborto usam esse mesmo tipo de argumento: “O feto não sabe o que o atingiu, então não percebe que perdeu a vida”. Sendo assim, se você esfaquear alguém pelas costas enquanto ele estiver dormindo, não haverá problema algum, porque ele não saberá o que o atingiu? Eu explicava aos meus colegas como a mesma lógica deles justificaria que eu “matasse você hoje, não estaria aqui amanhã e não saberia a diferença de qualquer forma; então, por que se importar?” E eles ficavam com o queixo caído. É incrível o que um pouco de lógica pode fazer, quando você pára para pensar – que é o que devemos fazer numa Faculdade de Direito – e considera o que realmente estamos falando: Há vidas que não estão aqui hoje porque foram abortadas. É como o velho ditado: “Se uma árvore cai na floresta e não há ninguém por perto para ouvir, será que faz barulho?”. Olha, faz sim! E se um bebê é abortado e ninguém fica sabendo, tem importância? A resposta é SIM! A vida dele importa. A minha vida importa. A sua vida importa e não deixe ninguém te dizer o contrário.

O mundo é um lugar diferente porque naquela época (antes de 1973, nos EUA) era ilegal a minha mãe me abortar. A sua vida é diferente porque ela não pôde me abortar legalmente e porque você está aqui lendo as minhas palavras hoje. Há coisa que fazem falta a todos nós aqui hoje por causa das gerações que foram abortadas, e isso importa.

Uma das melhores coisas que eu aprendi é que o estuprador não é o meu criador como algumas pessoas queriam que eu acreditasse. Meu valor e identidade não são determinados por eu ser “resultado de um estupro”, mas por eu ser uma filha de Deus. Salmos 68.5-6 declara: “Pai de órfãos... no seu templo santo Deus habita. Dá o Senhor um lugar aos sem família”. E salmos 27.10 nos diz: “Mesmo se pai e mãe me abandonassem, o Senhor me acolheria”. Sei que não há nenhum estigma em ser adotado. O Novo Testamento diz que é no espírito de adoção que nós somos chamados filhos de Deus por Jesus Cristo nosso Senhor (Romanos 8.15; Gálatas 4.5; e Efésios 1.5). Sendo assim, Ele deve ter pensado na adoção como símbolo do amor dEle por nós!

E o mais importante que é que eu aprendi, e poderei ensinar aos meus filhos e aos outros que o seu valor não é medido pelas circunstâncias da sua percepção, seus pais, seus irmãos, seu parceiro, sua casa, suas roupas, sua aparência. De fato, muitos palestrantes motivacionais falam para suas platéias que se elas fizerem algo importante e atingirem certos padrões sociais, então elas poderão “ser alguém”. Se alguém não atingir significa que não é “alguém” o que é “ninguém”? Se você quiser realmente saber qual é o seu valor, tudo o que precisa fazer é olhar para a Cruz, pois este é o preço que foi pago pela sua vida! Esse é o valor infinito que Deus colocou na sua vida! Para Ele, você vale muito.

Rebecca Kiessling é evangélica norte-americana, escritora e ativista pró-vida nos EUA.

(Jornal Mensageiro da Paz – ano 79 – Número 1486 – Março de 2009).

http://rebeccakiessling.com/

Obs.: Amigo leitor, peço por gentileza que deixe o seu comentário sobre a matéria citada acima. Desde já, muito obrigado. No serviço do Mestre, pastor Sandro Gomes.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Cresce Protesto contra Evolucionismo (O Planeta dos Macacos)

Aqui no Brasil a propaganda do filme O Planeta dos Macacos em nova versão já está em evidência. Diante da "hipótese" de uma suposta evolução, que está longe de ser uma "teoria", e que jamais chegará a ser Ciência no sentido real; mas uma falsa ciência, resolvi postar o seguinte artigo com o título supracitado acima, publicado no Mensageiro da Paz em em junho de 2006:

Aumenta o número de cientistas que se opõem abertamente ao darwinisnmo. O movimento começou em 2001, depois da divulgação da série Evolution, veiculada em canal de tevê norte-americano e que tinha como mote a declaração: "Virtualmente, todos os cientistas do mundo crêem que a Teoria da Evolução é verdadeira".
Em protesto ao programa, desde aquele ano, cientistas membros da Academia Nacional de Ciências da Rússia e dos Estados Unidos assinaram um manifesto afirmando serem contrários à teoria darwinista. Dentre eles, havia 154 biólogos, 76 químicos e 63 físicos. Em 20 de fevereiro deste ano, no site oficial do movimento (www.dissentfromdarwin.org), foram divulgados os nomes de 514 cientistas antidarwin, todos com doutorado em Biologia, Física, Química, Matemática, Medicina, Ciências da Computação e outras ciências relacionadas.
Na lista há professores e pesquisadores do MIT, Instituto Smithsoniano, Universidade de Cambridge, Universidade da Califórnia em Los Angeles, Universidade da Califórnia em Berkeley, Universidade de Princeton, Universidade da Pensilvância, Universidade do Estado de Ohio, Universidade da Geórgia e Universidade de Washington.

Nomes ilustres

Há signatários ilustres, como os doutores Philip Skell, célebre membro da Academia Nacional de Ciências dos EUA; Lyle Jenses, membro da Associação Americana para o Avanço da Ciência; Stanley Salthe, biólogo, ex-evolucionista e autor de livros escolares que ensinam o darwinismo; Richard von Sternberg, biólogo ex-evolucionista e pesquisador do Instituto Smithsoniano e do Centro Nacional de Informações de Biotecnologia dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA; Giuseppe Sermonti, editor da Revista di Biologia, o mais antigo periódico do mundo sobre Biologia ainda em circulação; e Lev Beloussov, célebre embriologista da Academia de Ciências Naturais da Rússia.

O doutor John G. Westm diretor associado do Centro de Ciência & Cultura do Instituto Discovery e um dos signatários da lista, explica as razões do movimento: " Os darwinistas continuam afirmando que nenhum cientista sério duvida da teoria. Porém, aqui estão mais de 500 cientistas dispostos a tornar público seu ceticismo acerca dessa teoria. Os esforços dos darwinistas para usar os tribunais, os meios de comunicação e os comitês acadêmicos para suprimir a dissidência e reprimir o debate estão, na verdade, inflamando mais a dissidência e inspirando mais cientistas a pedir sua inclusão na lista", afirma West;

O doutor David Berlinski, matemático, filósofo científico e um dos primeiros signatários, completa: " A Teoria da Evolução é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo. A teoria de Darwin é volumosa, mas quase completamente inútil e objeto de veneração supersticiosa".

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Perigos que Ameaçam a Obra Missionária

O Islamismo atualamente é a maior ameaça à obra missionária. Entretanto, assim como as cortinas de ferro em vários países comunistas caíram por terra pelo poder das intercessões, semelhantemente ocorrerá diante deste grande desafio.
Em contrapartida, Frank Dietz, um dos líderes da operação mobilização (OM) nos USA e ex-diretor do navio Doulos, não vê o Islamismo como o "bicho papão" na área de missões; segundo ele, "Deus quebra os sistemas religiosos. O inimigo das missões, está, talvez, dentro das igrejas: a indiferença entre o povo de Deus, a incredulidade, a covardia, a dúvida, a falta de imaginação e o materialismo".(Revista Seara, p.8, CPAD, janeiro de 1998). Extraído do Manual de Evangelismo Dinâmico de autoria do Pastor Sandro Gomes.

domingo, 21 de agosto de 2011

Citação bíblica da Semana

" E em nenhum outro(Jesus) há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens,pelo qual devamos ser salvos. " (Atos 4.12 -ERC)

A “Rainha do Céu”

Deus pronunciou severo juízo sobre o povo de Judá e de Jerusalém porque adoraram a “rainha do céu” (Jr 7.17-20); 44.15-19). Mas quem, ou o quê, era essa rainha do céu e como o povo de Israel passou a adorá-lá?
Já no século XXV antes de Cristo, o povo de UR dos caldeus, na Suméria, adorava uma deusa-mãe chamada Ishtar.¹ Mais ou menos na mesma época, a civilização minóica de Creta tinha uma deusa-mãe, que era representada segurando “seu filho divino Velchanos” nos braços.² Posteriormente, o povo de Chipre instaurou o culto a uma deusa que parece ter sido inspirada na Ishtar dos sumérios, mais tarde adotada pelos gregos como Afrodite³ ou Astarote. 4
Os babilônios, que conquistaram a Suméria por volta do século XXII a.C., baseavam suas crenças religiosas nos corpos celestes. Eles viam os planetas como deuses, e identificavam o planeta Vênus com a deusa-mãe sumeria, Ishltar.6
Os babilônios referiam-se a Ishtar como “A Virgem”, “A Mãe Virgem”, “Deusa das Deusas”7 e “Rainha do Céu e da Terra”.8 Eles louvavam a deusa, dizendo frases como: “Ishtar é grande! Ishtar é Rainha! Minha Senhora é exaltada, minha Senhora é Rainha [...]. Não há ninguém como ela”,9 Eles a chamavam de “Luz brilhante do céu, luz do mundo, alumiadora das moradas dos homens, que reúne as multidões das nações; e afirmavam: “Onde pousas os teus olhos, os mortos voltam à vida, os doentes se levantam e andam; a mente do insano é curada quando olha para tua face”.10
Na mitologia babilônica, Ishtar usava uma coroa e estava ligada a Tamuz, que algumas vezes era representado como seu filho e, outras vezes, como seu amante.11
Parece que a Ishtar sumério - babilônica era correspondente à deusa egípcia Isis e serviu de modelo para a Afrodite grega, a Vênus romana, a Nina assíria, a Cibele frígia e romana, a Astarote fenícia12 e a Astarote síria.13 Em essência, todas eram a mesma deusa-mãe.14
Os egípcios chamavam Ísis de “Grande Mãe” e “Mãe de Deus”.15 O culto a Ísis chegou à Itália por volta do segundo século a.C. e, posteriormente, difundiu-se por todo o Império Romano. Lá, a deusa era representada com seu “divino filho Hórus” nos braço e aclamada como “Rainha do Céu” e “Mãe de Deus”.16
Os fenícios adoravam a Baal. O baalismo incluía o culto a Moloque, com sacrifícios de crianças no fogo, e a adoração de Astarote, a Ishtar Rainha dos Céus do fenícios.17
Quando a princesa fenícia Jezabel casou-se com Acabe, rei de Israel (o reino do Norte), ela o induziu a estabelecer oficialmente o culto a Baal em seus domínios (1 Rs 16.29-33; 21.25-26). Essa manobra enredou o povo de Israel no culto à Rainha do Céu. Por causa disso, Deus o castigou com o cativeiro Assírio (2 Rs 17.5-7,16-18).
Atalia, filha de Acabe e Jezabel, casou- se com Jeorão, rei de Judá. Ela o convenceu a fazer o que seu pai havia feito – estabelecer plenamente o culto a Baal em seu reino
(2 Rs 8.16-18). Seu filho, Acazias, que ocupou o trono de Judá a seguir, fez o mesmo (2 Rs 8.16-18). Seu filho, Acazias, que ocupou o trono de Judá a seguir, fez o mesmo (2 Rs 8.25-27), assim como o rei Manassés (2 Rs 21.1-6). Essas ações enredaram o povo de Judá na adoração da Rainha do Céu. Por isso, Deus o castigou com o Cativeiro Babilônico (2 Rs 21.12-14). (Renald E. Showers, Israel My Glory)

Notas:
1.Will Durant, Our Oriental Heritage (New York: Simon and Schuster,1954), 123-24,1045.
2.Will Durant, The Life of Greece (New York: Simon and Schuster, 1939),13.
3.Ibid., 33-34
4.Durant, Our Oriental Heritage, 235.
5.Ibid., 219.
6.Ibid., 256.
7.Ibid., 235.
8.Ibid., 236.
9.Ibid.
10.Ibid.
11.Ibid., 238-39.
12.Ibid.,235,266,288,294-95.
13.Will Durant, The Life of Greece, 178.
14.Ibid.
15.Durant, Our Oriental Heritage, 200.
16.Will Durant, Caesar and Christ (New York: Simon and Schuster, 1944), 523.
17.Durant, Our Heritage, 294-95 e Caesar and Christ, 41.

Fonte: Chamada da Meia-Noite, abril de 2005, p. 17

Obs.: Amigo leitor, peço por gentileza que deixe o seu comentário sobre a verdade citada acima. Desde já, muito obrigado. No serviço do Mestre, pastor Sandro Gomes.

domingo, 14 de agosto de 2011

Citação Bíblica da Semana

"Se você confessar com a sua boca que Jesus é o Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação.". (Romanos 10.9,10). Nova Versão Internacional

NÚMEROS MISSIONÁRIOS

UM PARA 10.000

A enorme igreja evangélica do Brasil ainda tem pouca expressão na área de missões, porque as igreja ainda não tem - com algumas exceções -, feito das missões a sua prioridade. As estatísticas mostram que há mais ou menos 01 missionário por cada 10 mil crentes.

UM EM TRINTA

Este é o valor (per capita) do investimento de cada crente brasileiro na obra missionária. A contribuição financeira tem sido muito pouco em comparação com a necessidade. Se comparado, não daria para comprar uma latinha de coca-cola. Fonte: Missões Horizontes

Observação: “Somente com brindes, CDS, camisas, decalques e etc..., os crentes brasileiros gastam três bilhões de reais por ano.”
Fonte: (Revista Isto é, nº 314/setembro-2003 – citado por José Pontes Filho em artigo publicado na Revista Todos Nós, ano 2, nº 2, p.18 – Missão Juvep ).

Obs.: Amigo leitor, peço por gentileza que deixe o seu comentário sobre a estatística citada acima. Desde já, muito obrigado. No serviço do Mestre, pastor Sandro Gomes.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Manifestações populares em Londres

O que está acontecendo em Londres?

Uma insatisfação em virtude da injustiça social que permeia as grandes potências ou rebelião infanto juvenil conforme vaticina a Bíblia?

"Sabem porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos , irreverentes..." (2 Tm 3.1,2).

No serviço do Mestre, Pastor Sandro Gomes

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sete manifestações do espírito do Anticristo

1) Falsas doutrinas (1 Tm 4.1-3)
2) Ecumenismo (Ap 13.12;Gn 11.1-9)
3) Guerra à família (Lc 17.27)
4) Apostasia (2 Ts 2.3; Lc 18.4)
5) Imoralidade (Lc 4.35; 8.27)
6) Controle econômico e político dos povos
7) Guerra à Palavra de Deus.

No serviço do Mestre, Pr. Sandro Gomes

Quem restará após a queda de Babilônia?

Pergunta: "Apocalipse 19.21 diz: "Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo..." A expressão "os restantes" parece indicar que as pessoas ainda vivas na terra ao final da Tribulação serão mortas. No capítulo 20.3, porém, lemos sobre "nações". Quem seriam elas, se no capítulo 19 está dito que "os restantes " foram mortos?"

Resposta: Lendo todo o trecho de Apocalipse 19.17-21, fica claro que:
1. Nem todas as pessoas vivas serão mortas por ocasião da volta de Jesus. Isso se dará apenas com os integrantes dos exércitos que estiverem congregados contra o Senhor.
2. Após o retorno de Jesus com os exércitos celestiais (Ap 19.11-16) - aos quais, na minha opinião, pertence também a Igreja (Cl 3.4), que terá sido antes arrebatada - e após o juízo sobre as forças anticristãs (vv.17-21), Satanás será preso por mil anos (Ap 20.1-3). Depois disso será realizado o julgamento daqueles que sobreviveram à Tribulação. Isso inclui:
- o julgamento de Israel (Mt 25.1-13);
- o julgamento dos que creram durante a Grande Tribulação (Mt 25.14-30);
- o julgamento das nações (Mt 25.31-46).
Apenas os genuinamente renascidos que sobreviverem à Tribulação e que tiverem provado sua fé através de obras correspondentes, entrarão no reino de Cristo na terra. Os demais não poderão entrar; eles estarão perdidos.
3. Nesse período ressuscitarão também os mártires da Grande Tribulação. Estes governarão com Jesus durante o Milênio (Ap 20.4-6; a respeito , veja Ap 6.9; 7.13-17;14.1-5;18.24;19.2).
4. Após esses mil anos acontecerá o Juízo Final (Ap 20.11-15).

Fonte: (Norbert Lieth, Chamada da Meia-Noite, Outubro de 2007,p.22).

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Três Tipos de Arrebatamento

A) No espírito, Apocalipse 1.10;4.2;21.10

B) Dos sentidos (êxtase), Atos 10.9-11.

C) Do corpo, Atos 8.39,40; I Tessalonicenses 4.17; Gênesis 5.24; II Reis 2.11,12.

No serviço do Mestre, Pastor Sandro Gomes

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Escola Bíblica Dominical - A maior escola do mundo

- Extinga a Escola Dominical, e dentro de 15 anos a sua igreja terá apenas a metade de seus membros. - A.S. London

- Em cerca de oito mil adolescentes delinquentes, apenas 42 deles haviam frequentado com regularidade a Escola Bíblica Dominical. - J. Edgar Hoover

- A Escola Bíblica Dominical é a amiga da infância, a inspiração da mocidade, a força da maturidade e o conforto da velhice. - Marcus E. Dodd

- Um jovem educado na Escola Bíblica Dominical raramente é levado às barras dos tribunais.
- Dr. Clayrisley

- Um cálculo muito modesto assinala que 75% dos membros de todas as denominações, 85% dos obreiros e 95% dos pastores e missionários foram, em qualquer tempo, alunos da Escola Bíblica Dominical. - Dr. C.H. Benson

- O lar pode ser o mais forte aliado da Escola Bíblica Dominical, ou o pior inimigo, na dependência do comportamento dos pais. - Joseph Cook




domingo, 7 de agosto de 2011

A Igreja é isenta da Grande Tribulação(Mateus 24.21,22).

a) Ela vai ser arrebatada antes (2 Ts 2.3,6-8).
b) Ela é santa e não pode sofrer a iniquidade do Anticristo (2Ts 2.8).
c) Enoque foi transladado para o céu / Noé foi salvo e veio o Dilúvio (Gn 5.24;7.7;Hb 11.5).
d) Ló foi tirado de Sodoma, aí veio a destruição (Gn 19).
e) Deus não destinou a Igreja para a ira (1Ts 1.10;5.9).
f) Elias foi arrebatado antes da conquista de Israel por seus inimigos (2Rs 2.11).
g) A Igreja não aparece nos capítulos de 5 ao 19 de Apocalipse.
h) José teve para si uma esposa gentílica antes da catástrofe da fome sobre o Egito e as demais nações (Gn 41.45). Obs.: José, por outro lado revelou-se a seus irmãos quando estava a sós com eles (Gn 45.1). Só mais tarde que os estranhos tomaram conhecimento dessa sua revelação a seus irmãos (Gn 45.16). É importante ressaltar que José é um tipo de Jesus Cristo.
i) A "Estrela da Manhã" (Ap 22.16) e o "Sol da Justiça" (Ml 4.2). A estrela da manhã sempre precede do sol. Jesus como Estrela da Manhã é vindo para a Igreja. Ele como o Sol da Justiça tem a ver com Sua vinda para Israel e as demais nações.

(Fonte: Temário Escatológico do Pregador, (2011),por Sandro Gomes, no serviço do Mestre.)

sábado, 6 de agosto de 2011

VI Seminário de Ciência Bíblicas no Rio de Janeiro

Apocalipse em Síntese - Capítulo 12 - A mulher e seus inimigos

O saudoso escritor Joel Leitão de Melo (1989), de forma brilhante e sucinta comenta o capítulo em apreço :
" A mulher é a nação israelita. A coroa de 12 estrelas fala das 12 tribos de Israel. A lua debaixo dos pés (v 1) é o mesmo Israel, que brilhou como nação, está obscura agora, e brilhará no futuro. É como a lua que alumia, fica escura, e depois alumia de novo."
" O dragão é Satanás (v 9) que manifestou seu ódio desde quando Jesus nasceu, usando Herodes (Mt 2.3,7,9,16); e continua odiando a pessoa de Jesus.
" A mulher foge para o deserto, onde há um lugar preparado por Deus (v 6). Deus protegeu Jesus, mandando-o para o Egito, no tempo de Herodes. Sustentou o povo judeu durante tantos séculos, e os inimigos não puderam exterminá-lo. De mesmo modo há de preparar um refúgio contra a ira do dragão naquele tempo.
" Satanás expulso dos céus (vv 7-9) - Agora ele vive rodeando a terra, tentando os homens (1 Pe 5.8), e vai à presença de Deus (Jó 1.6.2.2) para acusar os crentes de dia e de noite (v 10). Naquela ocasião haverá guerra entre Miguel e seus anjos contra o dragão que será expulso dos céus e ficará zangado, porque sabe que falta pouco tempo para seu julgamento (v 12). Ele é expulso exatamente no meio da semana, e, irado por isso, vai perseguir a mulher.
"Começa a Grande Tribulação, quando o Anticristo, inspirado por Satanás, quebra o acordo com o povo judeu.
"O lugar deserto para onde a mulher vai é o mesmo referido no versículo 6. Ali fica protegida por Deus três anos e meio, correspondentes à segunda metade da semana de anos."
" A água como um rio que a serpente (o mesmo Satanás) lança contra ela são multidões e povos; água são povos, nações e línguas (17.15). "A terra...tragou o rio" (v 16) é outra vez a intervenção de Deus."
"O dragão foi fazer guerra ao resto de sua semente (v 17). Satanás é sempre o mesmo inimigo do povo de Deus. Mostra sua persistência em combater quem busca a Deus. Este resto da semente é a única parte fiel dentre os judeus. A maioria adere ao Anticristo, e vai para perdição. O mesmo que perseguiu os fiéis desde o começo continuará perseguindo até o fim."
(Fonte: Sombras, tipos e mistérios da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 1989.)

Citação Bíblica da Semana

"Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." João 14.6. Versão NVI.

"Jesus answered: I am the way and the truth and the life. No one comes to the Father except throght me." John 14.6 . New International Version.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Judeu, israelita e israelense

O ilustre professor doutor Roberto Alves, em seu livro A arte de interpretar a Bíblia - EXEGESE, apresenta-nos a definição de judeu, israelita e israelense no mundo hodierno:

"Judeu", hodiernamente, é aquele nascido de uma "mulher judia". Para o judeu, não vigora o provérbio: "Filho de peixe, peixinho é", pois não basta ser filho de judeu, a mãe é que tem que ser judia para o filho seja realmente judeu.
"Israelita" é o praticante da lei de Moisés; é o que segue o judaísmo. Aquele que se converte ao judaísmo passa a ser israelita, mas nunca será judeu, pois só é judeu quem nasce de uma mulher judia.

"Israelense", naturalmente, é aquele que nasce em Israel. É um adjetivo pátrio. "Israelita" é um adjetivo com conteúdo religioso, enquanto "judeu" é adjetivo com referência a um povo.

(Fonte: Alves, Roberto . Exegese: a arte de interpretar a Bíblia. Por Alfalit Brasil,p.146).

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

TERMOS RELACIONADOS COM A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

A) Optomai - Aparecer - Hebreus 9.28
B) Ercomai - Vir - João 14.3;Atos 1.11; I aos Tessalonicenses 1.10
C) Epiphanes - Aparição - I a Timóteo 6.14; II a Timóteo 1.10;5.23; II aos Ts 2.18; Tg 5.7. II Pe 1.16; Tito 2.13 e I João 2.28
D) Apocalypsis - Desvendar, revelação, aparecimento - I aos Coríntios 1.7, I Pedro 1.7, 13; Ap 1.1
E) Parousia - Presença, vinda - I aos Coríntios 15.23; I aos Tessalonicenses 2.19;3.13.4.15.

A IGREJA EM CASAS - Perguntas e Respostas - Segunda Parte

P. Por que igrejas em casas?
R. Implantamos igrejas em casas pelas seguintes razões:
1. a nossa meta não é somente iniciarmos uma igreja. A nossa meta é iniciarmos um movimento de implantação de igrejas. Cremos que isso pode ser feito da melhor maneira, enfocando-se a forma mais simples e mais reprodutível de implantação de igrejas. A igreja em casa supre essa necessidade.
2. Cremos que o conceito de igrejas em casas é a melhor forma de treinarmos pastores e líderes.
3. A simplicidade das pequenas congregações facilita a multiplicação de congregações.
4. Deus está chamando o Seu povo a uma quebra com o tradicionalismo e o profissionalismo, e a uma volta à simplicidade.
5. Na maioria dos países hoje, essa é a única maneira de se colocar em funcionamento um movimento de implantação de igrejas. Não é possível fazermos uma IMPLANTAÇÃO DE IGREJAS POR SATURAÇÃO se estivermos pensando em termos de igreja tradicional.
P. As igrejas em casas não são a mesma coisa que as células?
R. Não. O conceito de células é o estilo da roda e a igreja em casa é o estilo da videira. Uma célula é considerada como que fazendo parte da evangelização de uma outra igreja, ao passo que uma igreja em casa é uma igreja em si mesma e funciona como uma igreja.

P.Como podemos desenvolver um programa de igreja completo numa igreja em casa?
R.Cremos que se enfocarmos as coisas mencionadas no Capítulo 8 (O QUE FAZEMOS NUMA IGREJA EM CASAS?), o Senhor nos capacitará a suprirmos as necessidades de todos os indivíduos e famílias que frequentam as reuniões. O Espírito Santo é poderoso para nos tornar criativos em nossas abordagens com relação ao suprimento destas necessidades. As igrejas em casas não serão atraentes a todos. Alguns precisam frequentar igrejas com a capacidade de apresentar programas mais diversos. Não estamos em competição com outras igrejas. Estamos trabalhando juntamente com elas para ajudarmos no cuprimento da Grande Comissão.

P. E as crianças? Elas terão aulas especiais
R. Algumas igrejas em casas têm reuniões para crianças separadas dos jovens e adultos. Algumas têm todas as idades numa só reunão conjunta. É surpreendente o quanto as criancinhas aprendem pelo simples fato de estarem com os jovens e adultos no culto regular.

P. Quantas vezes por semana se reúnem as igrejas em casas?
R. Uma ou duas vezes por semana é comum, mas depende dos líderes de cada igreja em casa. Não há nada na Bíblia que diga com que frequência devemos nos reunir.

P. Sempre nos reunimos na mesma casa?
R. Nem sempre é sábio nos reunirmos na mesma casa pela seguinte razão:
1.Precisamos compartilhar com os outros a bênçao de sermos os anfitriões de uma igreja em casa.
2.Mudando-se o local de reuniões de vez em quando podemos alcançar e evangelizar diferentes vizinhanças.
3.Somos mantidos em união pelos vínculos dos relacionamentos, e não pelo local de reunião. Portanto, as mudanças são uma questão de segurança.
4.Evitamso o problema das reclamações dos vizinhos por fazermos cultos religiosos em suas proximidades.

P.A ideia das igrejas em casas não abre a possibilidade de qualquer pessoa iniciar a própria igreja?
R. O Apóstolo Paulo disse em Romanos 10.15: "Como pregarão, se não forem enviados?"
Somente os que foram enviados têm autoridade espiritual para implantarem igrejas. Até mesmo Paulo não se aventurou a sair e implantar igrejas até que tivesse sido enviado pelo Espírito Santo e pela liderança de sua igreja. (Leia Atos 13.1-4.)

P.Onde encontraremos pastores para dirigirem estas congregações?
R. As verdadeiras qualificações para os presbíteros (pastores) encontram-se em dois lugares no Novo Testamento: Tito 1.6-9 e 1 Timóteo 3.1-7. Deus já supriu muitos homens e mulheres humildes, ensináveis, e consagrados bem no meio de nossas igrejas e que são capazes de liderarem igrejas em casas. Não precisamos enviá-los para fora para serem treinados em escolas bíblicas ou seminários. O método do aprendiz é o melhor método debaixo do céu para o treinamento de pastores e líderes. Nunca houve um método melhor e nunca haverá.

P. Como podemos esperar que uma pequena igreja em casa gere uma outra igreja em casa?
R. Quando eu ainda era um adolescente o meu pastor me deu a tarefa de iniciar Aulas de Bíblia nos Lares com os idosos que não frequentavam a Escola Dominical. Não recebi nenhum ajudante ou membro com os quais eu pudesse começar essa tarefa. Recebi apenas alguns nomes e endereços de pessoas que talvez estivessem interessadas em estudos bíblicos em casa.
Durante os meses que se seguiram tive a alegria de estabelecer aulas de Bíblia em muitos lares. A minha tarefa não era somente ensinar a Palavra de Deus aos idosos, mas aprender como iniciar grupos em casas.
Isto é parte do treinamento de um presbítero. Ele recebe um território e a tarefa de iniciar uma nova igreja em casa. na maioria dos casos ele recebe pelo menos um ou dois casais para ajudá-lo a iniciar. O ideal é que um dos casais seja de pastores em treinamento a fim de que, desde o início de uma nova igreja, haja uma visão de implantação de igrejas .
Uma igreja em casa bem pequena pode enviar dois ou três casais todos os anos para gerarem uma nova igreja.

P.Como iniciarmos uma igreja em casa?
R.Em Atos Capítulo 13, foi o Espírito Santo que enviou a Paulo e Barnabé para iniciarem igrejas. Mas Ele revelou aos líderes da Igreja de Antioquia que Ele os havia chamado para fazerem isso.
Em Atos 15.24 algumas pessoas que "saíram" sem ser "enviadas" entraram em apuros. Presumindo-se que você tenha sido enviado por uma autoridade espiritual responsável, faça com que duas ou três pessoas que ainda não estejam envolvidas numa igreja concordem em reunir-se com você regularmente para adorarem a Jesus e para caminharem em Seus caminhos, e você já terá implantado uma nova igreja.
Quando Paulo e suas equipes saíam, eles primeiramente proclamavam as Boas-Novas e, aí então, reuniam os discípulos. A reunião dos discípulos é "igreja".

P. Você está sugerindo que todos devem deixar a igreja tradicional e se tornar membros de uma igreja em casa?
R. O nosso propósito não é demolirmos nada do que Deus esteja construindo. Temos o compromisso de abençoarmos e ajudarmos a todas as igrejas, de todas as cidades, pequenas ou grandes, denominacionais, não-denominacionais, ou inter-denominacionais.
Não competimos com outras igrejas. Estamos simplesmente apresentando uma expressão válida de "igreja" que se baseia na Palavra de Deus e que tem provado ser eficiente, tanto na Igreja Primitiva, como nas igrejas atuais.
Não estamos dizendo que Deus está chamando todo o Seus povo de todos os lugares a estar fazendo exatamente a mesma coisa. A Igreja de Jesus Cristo é impressionantemente flexível e versátil em suas muitas expressões, quando não é limitada por regras rígidas e inflexíveis.

P. As igrejas em casas têm de pertencer a uma denominação?
R. Em primeiro lugar, todas as igrejas em casas de qualquer cidade pertencem à Igreja, o Corpo de Cristo daquela cidade. Uma igreja em casa pode pertencer a uma denominação, mas suas ligações com essa denominação não devem interferir com o seu compromisso e relacionamento com o Corpo de Cristo daquela localidade.
O maior desafio de qualquer igreja é a manutenção da unidade dentro do mais amplo Corpo de Cristo na cidade em que moramos e servimos. (Veja o Capítulo 7.)

Há muitas outras questões que poderiam ser perguntadas sobre as igrejas em casas, mas a mais immportante é : "Senhor, o que Tu queres que eu faça para ajudar no cumprimento da Grande Comissão? Será que eu deveria estar envolvido na multiplicação de igrejas em casas em meu país e em todo o mundo?"
Há muitas maneiras de implantarmos novas igrejas e, desta forma, ampliarmos o Reino de Deus sobre a terra. Aceitaremos e não criticaremos as várias maneiras pelas quais o povo de Deus está tentando implantar igrejas. O meu propósito é tocar a trombeta para iniciarmos igrejas em casas.
Dizemos a vocês VENHAM E AJUDEM-NOS! Estamos entusiasmados com relação à multiplicação de igrejas em todos os países e grupos étnicos a fim de "que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações" (Lc 24.47).

SUMÁRIO
A minha firme convicção é que já existe agora um movimento de igrejas em casas a todo o vapor em todos os países da terra. Creio que esta é a única maneira pela qual veremos o cumprimento da Grande Comissão.
Isso já está começando a acontecer . Deus está falando sobre a IGREJAS EM CASAS a pessoas de toda parte. O alicerce foi colocado nos últimos vinte e cinco anos através da aceitação mundial do movimento de células.
Alguns de nós temos idade suficiente para nos lembrarmos de quando era altamente questionável o início de um grupo em casa de qualquer tipo, ou de qualquer outra coisa fora dos próprios prédios de igreja. Havia um temor muito grande de que isso afastaria as pessoas da "igreja". Agora, esses grupos são muito desejáveis, e considerados como uma forma de crescimento da igreja.
Deus está nos chamando para darmos mais um passo e reconhecermos que podemos de fato ter uma igreja , no sentido mais amplo da palavra, numa casa.
Algumas das maiores congregações do mundo hoje tiveram seu início numa casa. Quando se tornaram uma igreja? Será que eram igrejas quando tinham dez membros e se reuniam numa casa? Ou será que eram igrejas somente quando tinham mil membros? Será que se tornaram igrejas quando se reunião num prédio especialmente projetado para isso e chamado de "igreja"?
A resposta é óbvia. Eram igrejas quando começaram nas casas. Se tivessem continuado a ser reunir em casas, teriam continuado a ser igrejas.
Deus está sacudindo e mexendo em nossas atuais estruturas de igreja e levando-nos de volta ao básico. A maior parte do que chegamos a considerar agora como sendo essencial na verdade não é absolutamente essencial.
Quando olhamos para a simplicidade da Igreja do Novo Testamento e a comparamos com a Igreja institucionalizada de nossos dias vemos pouca, ou nenhuma semelhança.
A Igreja em alguns países é mais semelhante a uma corporação. Algumas denominações são enormes redes, que, em muitos casos, são governadas politicamente, em vez de serem governadas por uma autoridade espiritual ordenada por Deus. Isso tem causado um inconmensurável desastre e divis~eos durante centenas de anos.
Que Deus nos dê a revelação, a humildade, e a graça para admitirmos o quanto nos afastamos da simplicidade e da pureza da Igreja do Novo Testamento. Em siguida, vamos voltar a essa simplicidade e pureza com quebrantamento e arrependimento.
(Bob Fitts - Revista Atos - ABRIL/MAIO/JUNHO 2002).